terça-feira, abril 25, 2017

Rússia mostra Satanás II: a bomba capaz de varrer um país inteiro do mapa





















O míssil teria uma capacidade de atingir 10.000 km, permitindo-lhe chegar a cidades como Londres, Paris ou regiões como a costa oeste dos Estados Unidos.

O míssil tem doze ogivas nucleares e graças à tecnologia stealth, é capaz de enganar os radares mais poderosos.
A Rússia tem como plano dispor da Satanás 2, mais tardar em 2020 e já é descrito como o míssil mais poderoso já construído. Parece que a Rússia está se preparando para uma guerra catastrófica. Do Enigmas do Universo!







4 comentários:

  1. PERCIVAL DE SOUZA25 de abril de 2017 10:36

    Tanta gente no mundo sem moradia, sem alimentação, sem saúde, sem educação, e os governos gastando à toa bilhões e bilhões de dólares com farras, cafés, almoços, jantares, ‘mesadas’ para políticos corruptos e até para bem servir a vaidade e o orgulho do Satanás.
    Quantas famílias estão sem moradias, vivendo em palafitas ou debaixo dos viadutos dos grandes centros urbanos? Quantas crianças estão sem merenda escolar, em virtude do desvio dos recursos públicos que se destinam a alimentar a corrupção de vereadores, prefeitos, deputados, governadores, senadores, e até de puxa-sacos de políticos desonestos?
    Por enquanto, não se vislumbra outra saída para a crise moral, ética, econômica, gerencial e administrativa, se não a união de todos os povos em torno da oração. Sem Deus não há saída para a melhoria das condições de vida da população daqui ou de alhures.

    ResponderExcluir
  2. O povo só pensa em Deus quando tá lascado. Quando tem qualquer merreca no bolso ou qualquer poder, por mais insignificante que seja, bota logo um rei na barriga, muda o andar, o estilo de vida e as amizades. Pensar em Deus? Só quando estão no chicote, na peia braba, no xilindró.

    ResponderExcluir
  3. Não a nada de honra na guerra, pois pessoas matam umas as outras, sem motivos , muitas vezes manipuladas pelos seus governantes com os seus próprios ideais. Não a guerra!

    ResponderExcluir