quinta-feira, fevereiro 02, 2017

Não existe justificativa para celebrar morte da ex-primeira-dama



















UOL – A ex-primeira-dama e mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Marisa Letícia Lula da Silva, 66, teve morte cerebral nesta quinta-feira (2) em razão de complicações causadas por um AVC (Acidente Vascular Cerebral) hemorrágico. Desde a internação da ex-primeira-dama até o anúncio de sua morte, as redes sociais e os espaços de comentários dos sites de notícias foram palco para muitos comemorarem a tragédia da família Silva.

Na opinião de Aurélio Melo, professor de psicologia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, muitas pessoas catalisam os sentimentos [tristeza por ser demitido, por exemplo] que tinham e culpam a família de Lula por isso. "Não existe uma justificativa para que alguém celebre a morte de outra pessoa. Mas o que as pessoas estão fazendo é expressar um ódio por uma figura pública que pode ter supostamente o prejudicado. Essa comemoração mórbida é uma expressão de ódio, de intolerância e de falta de ética", explica.



Nenhum comentário:

Postar um comentário